Bolo de banana (e de caneca também)

Sabe aquela vontade de um bolinho pra acompanhar o café da manhã ou o lanche da tarde? E se esse bolinho for perfumado, sem açúcar e feito em 5 minutos?

Não, não é impossível.
E a receita é bem fácil.

BOLO DE BANANA:
Rendimento: 2 unidades

1425425830451

Ingredientes:
1 banana (quanto mais madura, mais doce ficará o bolo)
1 ovo
1 colher (sopa) de aveia
2 colheres (sopa) de amaranto em flocos (ou qualquer outra farinha do bem: de arroz integral, de trigo integral, de linhaça, quinoa em flocos…)
1/2 colher (sopa) de manteiga de coco (pode substituir por óleo de coco ou de soja)
1/2 colher (café) de canela em pó
1/2 colher (café) de cravo em pó
1/2 colher (café) de fermento químico em pó

1425425744992


Como fazer:

Prometi que seria fácil, certo? Então vamos lá!
Em um bowl, amasse a banana e acrescente os outros ingredientes. Misture com a ajuda de um garfo até ficar homogêneo. Unte 2 canecas com óleo de soja, coloque a massa e leve ao microondas por 1 minuto e 30 segundos (esse tempo pode variar de acordo com a potência do equipamento).

1425425787262

Esse bolo pode ter muitas variações, o que manda é a criatividade. Se quiser um bolo mais molhadinho, sirva com mel, melado ou maple syrop.

Dica de ouro: Troque 1 colher (sopa) de amaranto por 1 colher (sopa) de cacau em pó. E antes de levar ao microondas, coloque 1 colher (sopa) de granola por cima do bolinho. Quer fazer granola caseira? Clica AQUI.

1425425880818

E aí, é ou não é fácil?

Anúncios

Bolinho de frango com aveia: para começar 2015

Como assim se já estamos em Março?!

Pois é, mas para a gordinha que escreve este humilde bloguinho, o ano tem início hoje… alimentarmente falando.

Depois de um fim de ano lotado de comilanças, estava difícil retomar a rotina saudável.
O natal passou, o reveillon também. Veio o carnaval e com tudo isso, uns quilos a mais.

Chegou a hora de tomar vergonha na cara e focar nas comidinhas cheias de saúde, mas igualmente cheias de sabores.

Vamos lá?

BOLINHO DE FRANGO COM AVEIA
Rendimento: 4 porções

1425228530997

Ingredientes:

Para o bolinho:
1 peito de frango
5 colheres (sopa) de aveia
1 ovo (apesar de ter 2 ovos na foto, 1 já é suficiente)
1/2 cebola
2 dentes de alho
1 pimenta dedo de moça
1 colher (sopa) de linhaça dourada
1 colher (sopa) de chia
sal
pimenta do reino

Para o molho:
1/2 cebola
2 latas de tomate sem pele (fica ainda melhor se usar tomates frescos)
sal
pimenta do reino
orégano
azeite de oliva extra virgem

1425228374563

Como fazer:
Fazer os bolinhos é fácil: em um processador de alimentos coloque todos os ingredientes e pronto. É só isso! Faça bolinhas com a massa de frango e leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 25 minutos. O resultado são bolinhos extremamente cheirosos e que lembram absurdamente os nada saudáveis nuggets (não sei vocês, mas as vezes fico desesperada por junk food, e esses bolinhos são a salvação para dias assim).
Falando em nuggets, você sabe como os industrializados são feitos? Clique AQUI e confira.

1425228451135

Se você quiser complementar os bolinhos, faça o molho: refogue a cebola picada no azeite de oliva extra virgem. Adicione os tomates sem pele e deixe cozinhar por 5 minutos. Tempere com sal, orégano e pimenta do reino e deixe apurar por mais 5 minutos. Acrescente os bolinhos de frango já assados e cozinhe por mais 3 minutos, para que o bolinho pegue o sabor do molho.

Servir com macarrão integral fica uma delícia, mas fui de arroz colorido: cozinhei arroz vermelho, arroz integral do tipo agulhinha, cenoura, cebola e alho, tudo junto.

1425228491990

E quer saber? Superou as expectativas!
Faz aí e me conta aqui como ficou. 

Granola Caseira e a definição da palavra Amor

Amo granola. De todos os tipos.
E de todos os jeitos: com frutas, iogurte, na massa de bolo…

É saborosa, melhora o funcionamento do intestino e deixa a pele mais bonita.
Enfim, granola é amor!

Mas andava meio desiludida com as granolas do mercado (extremamente cheia de açúcares) e estava ensaiando fazer a minha granolinha há séculos. Só que as receitas que circulavam por aí não pareciam nada práticas.

Foi então que vi duas receitas deliciosas em blogs que adoro (Cozinho, logo existo e Tem Delícia na Cozinha) e resolvi arriscar.

E assim nasceu a minha granola caseira!

GRANOLA CASEIRA
Rendimento: 400g

1419331917617

Ingredientes:

1 xícara de aveia em flocos
1/2 xícara de amêndoas em lâminas
1/2 xícara de castanhas do Pará
1 colher (sopa) de chia
1 colher (sopa) de linhaça dourada
1 colher (sopa) de sementes de girassol
1 colher (sopa) de gergelim
1 colher (sopa) de farinha de coco
1 colher (sopa) de cacau em pó
3 colheres (sopa) de maple syrop (ou melado)
1 colher (sopa) de óleo de soja (ou de coco)
1/2 xícara de uvas passas pretas

Todos os ingredientes podem ser substituídos, de acordo com o que você tem em casa. Não tem gergelim e sementes de girassol? Substitua tudo por linhaça que continuará delicioso e saudável.

Como fazer:
Pré-aqueça o forno a 180ºC e forre uma forma com papel manteiga.
Em um bowl, misture todos os ingredientes, exceto as uvas passas (ou a fruta seca que for usar).
Coloque a mistura na forma e leve ao forno por, aproximadamente, 20 minutos.
Abra, misture a granola e volte ao forno por mais 20 minutos, ou até dourar.

Depois que a granola esfriar, acrescente as uvas passas e guarde em um vidro bem fechado.

1419331969911
A validade da granola é de até 1 mês, mas duvido que a sua dure tanto tempo.

Creme de Cacau: para uma vida mais doce

Oi, prazer. 
Sou a Gabriele e sim, sou chegada num açúcar.

Vivo driblando a vontade de doce o tempo todo e com os mais diversos alimentos: sagu falso feito com chia, frutas desidratadas, brigadeiro de biomassa de banana verde…

Nem sempre dá certo, mas as vezes sou bem sucedida e a receita vira queridinha, como esse creme de cacau feito a base de abacate, rápido de fazer, super do bem e cheio de gorduras boas.

CREME DE CACAU
Rendimento: 8 porções

1418724650783

Ingredientes:
1 abacate maduro (usei metade pois o meu abacate estava bem grande)
1/2 xícara de mel
1/2 xícara de cacau
Amêndoas laminadas

1418724543851

Como fazer:
Em um processador de alimentos, coloque o abacate, o mel e o cacau.
Vá processando aos poucos, até que o creme fique homogêneo.
E é só isso! Leve pra gelar por, no mínimo, 3 horas.

Sirva com amêndoas laminadas tostadas.

O creme tem a textura e o sabor bem semelhantes ao ganache, e não lembra em nada o gosto do abacate. Pode servir de recheio ou cobertura para bolos e tortas.

1418727048509[1]

E viva as doçuras saudáveis da vida!

Chilli com feijão branco

Arrrrrrrrriba!

Curto muito preparar comida mexicana. À minha moda, claro.
E a desculpa para preparar este chilli foi um presente do marido: a pimenta do Chef Carlos Bertolazzi.

Adoro o Bertolazzi. Fato! Meu amor começou há anos no Homens Gourmet (programa exibido hoje na FOX), aumentou depois que li o iChef, escrito por ele, e só cresce, agora no Cozinha sob Pressão (versão brasileira do Hell’s Kitchen, exibido aos sábados no SBT). Ter a pimenta desenvolvida pelo cara era essencial.

 

1418376577001Noite de autógrafos do iChef em Blumenau. Obrigada, Marido 

 

Jack’n’Cola Bertolazzi’s Fucking Style faz parte dos molhos de pimenta da De Cabrón e acreditem, é considerado leve (cadê coragem para provar os fortes?). Extremamente saboroso, o que mais surpreendeu foi a textura: esqueça aqueles molhos aguados! A pimenta do Bertolazzi é quase cremosa, lembrando uma geleia.

Desculpas a parte, é hora da minha tentativa de receita mexicana menos gorda.

CHILLI COM FEIJÃO BRANCO:
Rendimento: 2 porções

1418343038299

Ingredientes:
4 dentes de alho
1 cebola
2 tomates
250g de carne magra (usei 2 bifes de coxão mole)
1 xícara de feijão branco cozido
sal
pimenta do reino
molho de pimenta Jack’n’Cola
cominho
azeite de oliva extra virgem

1418343096877

Como fazer:
Em uma frigideira aquecida, doure a cebola com um fio de azeite de oliva.
Acrescente o alho, refogue mais um pouco e coloque a carne, cortada em cubos pequenos (se quiser, troque pela carne moída).
Tempere com sal, pimenta do reino, cominho e deixe cozinhar por 5 minutos.
Acrescente os tomates, cozinhe mais um pouco e coloque o feijão branco (a maioria das receitas leva feijão vermelho ou carioca, mas como procuro sempre ‘rodiziar’ os alimentos, optei pelo feijão que menos consumo).
Corrija o sal, tire a frigideira do fogo e adicione o Jack’n’Cola, na quantidade que preferir (muita calma nessa hora).

Sirva acompanhado por falsos nachos de Rap10 integral, pasta de abacate (amasse metade de um abacate e tempere com sal, limão e pimenta do reino) e mais algumas gotas de Jack’n’Cola.

1418343159197

 

Que tal improvisar uma festinha mexicana no final de semana?

A Crepioca nossa de cada dia

Quem me segue no Instagram (me adiciona: @gabibondan) sabe do meu amor pela crepioca. Quase toda a semana ela aparece no meu cardápio, das mais diversas formas: doce, salgada, enrolada como panqueca, dobrada tipo crepe ou inteira como base de pizza.

Não sei quem teve a brilhante ideia de misturar a farinha de tapioca com ovos (receita base de crepioca), mas essa pessoa certamente merece um prêmio.

Esse ‘crepe’ fininho, rápido de fazer e super versátil, fica uma delicia pra acompanhar o café preto da manhã ou ser a estrela do jantar.

Vamos pra receita?

CREPIOCA (salgada):
Rendimento: 1 unidade

1418293290271

Ingredientes:
1 ovo
2 colheres (sopa) de farinha de tapioca
1 colher (sopa) de linhaça dourada
1 colher (sopa) de chia
orégano
sal
azeite de oliva extra virgem
1 tomate (ou o recheio de sua preferência)
pimenta do reino

1418293462671

Como fazer:
Coloque uma frigideira antiaderente para aquecer em fogo baixo enquanto prepara a massa da crepioca.
Em um bowl, misture o ovo, a farinha de tapioca, a linhaça e a chia (duas grandes fontes de fibra). Tempere com sal e orégano a gosto.
Unte a frigideira com o azeite de oliva e coloque a massa da crepioca. Doure dos dois lados, como uma panqueca.
Recheie metade da crepioca com tomate e tempere com orégano e pimenta do reino.
Dobre a crepioca ao meio.

Um fio de azeite de oliva para finalizar e pronto, é só comer!

1418293333848

Fácil, né?

4 anos

09 de Dezembro de 2010.
Costumo brincar que foi o dia que nasci de novo.
Não, não passei por nenhuma experiência de quase morte. E sim por uma experiência que me devolveu a vida.

Há exatos 4 anos estava no centro cirúrgico, fazendo a cirurgia bariátrica por bypass gástrico em Y de Roux, ou a popular redução de estômago.
Depois de tentar inúmeros métodos para emagracer (remédios, dieta da proteína, da sopa, yin e yang…), todos insustentáveis, estava com 24 anos e mais de 100kg, generosamente distribuídos em 1,54m.

Com um IMC acima de 42, aquele excesso todo começou a pesar (literalmente). Tinha dificuldade em fazer coisas do dia a dia, como fechar a fivela de uma sandália. Passar na catraca do ônibus também gerava ansiedade: será que não vou trancar? Sem contar a autoestima. Acho lindo e admiro muito quem se ama acima de tudo, mas aquele definitivamente não era o meu caso. Saía acabada de uma loja que não trabalhava com calças 54 e entrava em mini depressão quando o XXG da Renner não fechava. Eu realmente não pertencia aquele corpo, mas também não sabia muito bem o que fazer pra me livrar dele.

Foi então que, em Junho ou Julho de 2010, por algum motivo que não lembro, eu chorei. Ou melhor, eu quis chorar. E eu não tive fôlego pra isso. O ar simplesmente faltou. Nem chorar mais eu conseguia. Que tipo de vida poderia ter se até extravasar sentimentos ruins havia se tornado difícil? Naquele momento foi tomada a decisão: eu vou operar!

Muitas pessoas me questionam (e até eu me faço essa pergunta): será que não escolhi o caminho mais fácil? Avaliando HOJE, 48 meses depois e com muito mais energia, pode ser que sim, pode ser que tenha optado pelo caminho ‘mais fácil’ (apesar de ter a prática de que a recuperação de uma bariátrica não é assim tão fácil). Talvez tivesse conseguido o mesmo resultado (45kg off) com reeducação alimentar e exercício físico. Não tenho dúvidas disso. A Gabriele de hoje conseguiria! Mas a Gabriele de 4 anos atrás, não tenho certeza.

A cirurgia foi o único caminho efetivo… pra mim! O procedimento não é milagroso e a luta contra a balança é diária. O corpo se adapta e com o passar do tempo, se não tivesse aproveitado a bariátrica pra mudar a cabeça, os quilos (e todos os problemas) voltariam!

Hoje a briga não é mais só com os pneus que insistem em aumentar minha pança, e sim por uma vida mais saudável, com mais nutrientes e ainda assim, gostosa. Saúde.. é isso que busco hoje, e é isso que tentarei compartilhar sempre aqui no bloguinho.